Elaborando a Tabela de Levantamento de Acervos Museológicos

Elaborando a Tabela de Levantamento de Acervos Museológicos

Se você trabalha em museu e se o seu acervo possui inconsistências quanto à sua documentação (ou até a falta dela), certamente você já ouviu falar em Tabela de Levantamento de Acervos Museológicos, certo? Sabia que ela é uma das primeiras atividades técnicas dentre as ações documentais de um acervo?

Uma das atividades mais importantes dentro de um museu é o controle do acervo museológico, ou seja, o controle de toda a sua informação. A Documentação Museológica é um conjunto de procedimentos técnicos imprescindíveis à gestão do museu e possui normas adotadas internacionalmente, sendo uma área de atuação para o museólogo, profissional apto a essa demanda.  É a partir das informações registradas em sua Documentação Museológica que os museus desenvolvem e promovem pesquisas, exposições, ações educativas, publicações periódicas, entre outros. Com base nesse conteúdo registrado, o museu fortalece a sua importância social, política, histórica e cultural. Possibilitando a aproximação e apropriação dos usuários ao acervo. Dessa forma, a Documentação Museológica torna-se uma atividade diária e legitimada nestas instituições.

Diagnóstico e Levantamento de Acervos Museológicos

O Diagnóstico e Levantamento de Acervo é um importante instrumento de planejamento, que tem como objetivo analisar e organizar as informações relativas aos acervos museológicos, identificando as necessidades do museu em relação às suas coleções. Trata-se da primeira ação a ser realizada pelo museu em sua Documentação Museológica, pois, o Diagnóstico de Acervo revelará as informações preliminares dos objetos, tendo como resultado a capacidade para se promover o entendimento do sistema documental vigente ou que será adotado pelo museu.

Grande parte das instituições museológicas não possui um bom sistema de documentação museológica e o Levantamento de Acervo passa a ser a primeira convenção para a decodificação do acervo museológico.

O Levantamento de Acervo é um procedimento complexo e requer conhecimento e discernimento técnico. Deve ser realizado com equipe capacitada, sob consultoria e coordenação de museólogo, conforme estabelecido pela Lei 2.282, de 18 de janeiro de 1984, que dispõe sobre a regulamentação de museólogo.

O Levantamento de Acervo é resultado de três etapas, a saber:

  • Elaboração da etiqueta para marcação provisória
  • Sistema de numeração das peças
  • Diagnóstico de Acervo

Nesse sentido, pode-se perceber que as primeiras ações da Documentação Museológica resultam em atividades técnicas que poderão nos revelar as informações concretas sobre a tipologia e quantidade de acervos museológicos, bem como suas principais características e o estado de conservação das peças.

Tabela de Levantamento de Acervos Museológicos

A Tabela de Levantamento de Acervos Museológicos evidencia que a ausência de uma documentação museológica pode prejudicar e até mesmo fragilizar os trabalhos junto ao acervo de uma instituição, à medida que se desconheça o número total de objetos.

Somente a partir da inserção da todos os objetos numa planilha é que a instituição tomará ciência sobre o número real de objetos por ela salvaguardados, além de informações preliminares sobre o seu estado de conservação e sobre a classificação dos acervos segundo suas tipologias.

Entre os itens que uma Tabela de Levantamento do Acervo deve conter, destacamos:

  • Número de Ordem: Trata-se do número para o controle quantitativo de objetos que estão sendo levantados e registrados. O número sempre é sequencial, o que nos permite sempre acessar quantos objetos já receberam algum tratamento documental.
  • Número do Objeto: Esse item deve ser resultado de uma reflexão maior, pois será um esboço do número que o objeto museológico receberá em toda a sua ação documental. O número de objeto deve seguir o Sistema de Numeração utilizado pelo museu e deve assegurar a aplicação de um só número para cada objeto, não podendo haver repetição ou duplicidade. Esse será o número que será registrado na etiqueta para marcação provisória e que posteriormente será marcado na peça.
  • Nome Atribuído: Nesse primeiro instante, o importante é adotar nomes padronizados, para já se delimitar um glossário padrão para o acervo museológico. Posteriormente, para as etapas de elaboração de fichas de identificação e de registro de objetos e inserção das informação no sistema informatizado, o nome atribuído passará a ser “nome do objeto”, validado pelas pesquisas e evidências comprobatórias.
  • Estado de Conservação: Esse campo dará a primeira impressão do estado em que se encontram os objetos do museu. O museu deve padronizar a sua própria escala de conservação, indicando os parâmetros a serem indicados, tais como, bom, regular, ruim, entre outros. Essa informação já nos revelará futuras ações de conservação e até de restauração ou descarte.
  • Material: Deve-se descrever os principais materiais que compõem o objeto, registrando do que mais predomina para o menor. Esse campo nos revela de forma rápida, ao observar com o campo anterior, quais serão as necessidades para a sua higienização e conservação, acondicionamento na Reserva Técnica e outras atividades especiais e de segurança.
  • Observações: Esse campo permite, quando necessário ou pertinente, que se registrem informações intrínsecas e extrínsecas levantadas durante o processo de levantamento de acervo. Tais informações serão norteadoras para futuras pesquisas, quando ocorrerem as etapas futuras da Documentação Museológica.
Tabela de Levantamento de Acervos Museológicos do Museu Irmão Luiz Godofredo Gartner

Tabela de Levantamento de Acervos Museológicos do Museu Irmão Luiz Godofredo Gartner, Corupá/SC

A Tabela de Levantamento de Acervos evidencia que a ausência de uma documentação museológica pode prejudicar e até mesmo fragilizar os trabalhos junto ao acervo de uma instituição, à medida que se desconheça o número total de objetos.

Somente a partir da inserção da todos os objetos numa planilha é que a instituição tomará ciência sobre o número real de objetos por ela salvaguardados, além de informações preliminares sobre o seu estado de conservação e sobre a classificação dos acervos segundo suas tipologias.

A Tabela de Levantamento de Acervos Museológicos resultará no primeiro cenário identificável da situação em que se encontra o acervo salvaguardado pelo museu. Nesse sentido, essa ação desencadeará as informações para o Diagnóstico de Acervos Museológicos, apresentando todos os itens que o museu possui e suas coleções, além de identificar as particularidades do acervo.

Essas etapas podem ser comparadas como uma espinha dorsal, importantes para a elaboração e o desenvolvimento da Política de Acervos, tendo em vista que com a realização delas, tem-se maior domínio de informação e clareza nas tomadas de decisões junto ao acervo museológico.

Publicado por na(as) categoria(as) Documentação, Triscele.

Museólogo com mestrado em Turismo e Hotelaria. Desenvolve consultorias e pesquisas relacionadas a Serviços Turísticos, Planejamento do Turismo, Desenvolvimento Local e Turismo Cultural. Na área de Museologia, atua principalmente nos seguintes temas: Gestão Museológica, Design Gráfico, Expografia e Documentação Museológica. Pesquisa estudos em Patrimônio Imaterial, Patrimônio Industrial e Patrimônio Alimentar.

Comentários para "Elaborando a Tabela de Levantamento de Acervos Museológicos".

  1. Nivaldo Novakoski: disse:

    bom e uma boa maneira de nos depararmos com algumas duvidas e assim fica mais fácil de localizarmos no tempo e no espaço.
    mas o que eu queria esmo e um sistema informatizado de catalogação dos objetos museológicos

    1. Saty Jardim: disse:

      Olá, Nivaldo. Você já teve oportunidade de conferir o Sylloge? É o sistema da Tríscele para catalogação e gestão do patrimônio museológico. 100% online.

  2. Adilson Nunes de Oliveira: disse:

    Sempre leio com atenção, denodada , os artigos de vocês , e repasso aos colegas da regional de museus , que compõem a 6ª RM, do SEM /RS Quero continuar recebendo, pois , no mínimo, a leitura nos faz mais conscientes da responsabilidade que temos em nossas mãos. Agradecido !!

Deixe o seu comentário. Queremos ouvir a sua opinião.

10 − um =

Que tal Realizar o seu Diagnóstico de Acervo?

É Simples, Gratuito e 100% Online!

chat seta
fale com a Tríscele