Os Museus na Era Digital

Os Museus na Era Digital

À medida que vivemos vidas móveis, digitais e virtuais cada vez mais crescentes – com experiências e serviços personalizados ao usuário -, os museus precisarão encontrar novas formas de apresentar seus conteúdos e engajar seus usuários. À medida que experiências digitais e espaços físicos se fundem, quem de fato será o público do museu do futuro? Ademais, os museus funcionarão exclusivamente no setor cultural ou continuarão a se expandir para outros mercados? Como e onde as suas narrativas serão exibidas e entregues?

Nos últimos vinte anos, mudanças na sociedade e na tecnologia remodelaram o funcionamento dos museus, fazendo-os repensarem como essas instituições podem proporcionar experiências cognitivas e como seus espaços passaram a serem projetados com a inserção das tecnologias em suas exposições. Nas próximas décadas, garantir o acesso ao financiamento, atrair públicos mais amplos e atender a formas alternativas de cultura colocará pressão nos museus para inovarem e adaptarem-se às novas necessidades dos usuários e às realidades econômicas. O museu do futuro deve planejar a sustentabilidade do seu ecossistema cultural.

No futuro, os museus continuarão a ser moldados por uma ampla variedade de tendências motivadoras, sendo o uso da tecnologia a principal delas. Novas tecnologias, a realidade aumentada, por exemplo, já estão mudando como e onde podemos ter experiências semelhantes a museus. Visitar museus e atrativos turísticos por meio da realidade aumentada é uma experiência cada vez mais acessível. As mudanças sociais e culturais estão influenciando o tipo de experiências que as pessoas esperam, enquanto as restrições ao financiamento continuarão a pressionar alguns museus a serem lucrativos e inclusivos ao mesmo tempo. Então, quais seriam as alternativas para a sustentabilidade do museu do futuro?

Tendências do Museu

As tendências para o museu do futuro adotam uma visão holística do mundo, abrangendo desenvolvimentos de médio a longo prazo na sociedade, tecnologia, economia, meio ambiente e política. As tendências podem ser usadas para desenvolver estratégias corporativas, identificar riscos emergentes, descobrir novos campos de crescimento e explorar oportunidades para inovação disruptiva. As tendências identificadas para o museu do futuro são:

  • Diversificação de Conteúdo
  • Experiências imersivas
  • Espaços sustentáveis e abertos

Diversificação de Conteúdo

Cada vez mais as pessoas se acostumam a ter acesso ilimitado à informação. Então, como os museus podem apresentar seus conteúdos de maneira atrativa para diferentes grupos da sociedade? Hoje encontramos uma população em envelhecimento no meio de um número crescente de Millennials (a geração da internet). Sendo assim, os museus terão que acomodar as necessidades daqueles que esperam interfaces digitais como parte de sua experiência de usuário e aqueles que podem preferir uma experiência mais tradicional.

Os museus devem inventar novas maneiras de contar histórias, engajando os próprios visitantes na criação e na curadoria de conteúdo.

Experiências imersivas

O museu do futuro deve proporcionar uma experiência sensorial imersiva. O crescimento dos serviços digitais não está apenas transformando nossa interação com o mundo digital, mas moldando cada vez mais nossa compreensão de como projetamos e vivenciamos espaços físicos. Isso inclui nossas casas, bem como lugares como o local de trabalho, ambientes de varejo e centros culturais. Estamos cada vez mais mudando para ambientes híbridos, onde as tecnologias digitais são usadas para melhorar e potencializar as experiências físicas e oferecer novas experiências imersivas.

Os museus poderão usar os dados gerados pelos visitantes para continuarem a melhorar e aprimorar suas experiências imersivas, suas exposições e os seus programas auxiliares.

 

Espaços sustentáveis e abertos

À medida que as cidades se tornam cada vez mais densas e o espaço público se torna mais valioso, os museus devem considerar a importância de seu papel na criação de lugares, ou seja, a sua inserção no ecossistema cultural. Como os museus fornecerão espaços públicos para seus públicos? Como os museus podem incentivar o intercâmbio cultural entre os usuários, que variam muito em idade, habilidades e origens sociais e econômicas? Questões como as condições ambientais, a segurança e o acesso também terão um impacto significativo no design do museu, no espaço público e nos serviços que eles oferecem. Isso é pensar em acessibilidade universal!

O museu do futuro é mais que um prédio.Ele faz parte de um ecossistema cultural que pensa na preservação e salvaguarda de elementos vivos ameaçados pelos crescentes impactos físicos das mudanças climáticas.]

“A experiência do museu está se tornando cada vez mais
colaborativa. Os museus estão se tornando mais confortáveis para permitir que o público tenha voz e, novamente, a tecnologia pode facilitar isso ” JIM RICHARDS, Museum Next

Publicado por na(as) categoria(as) Museu, Triscele.

Museólogo com mestrado em Turismo e Hotelaria. Desenvolve consultorias e pesquisas relacionadas a Serviços Turísticos, Planejamento do Turismo, Desenvolvimento Local e Turismo Cultural. Na área de Museologia, atua principalmente nos seguintes temas: Gestão Museológica, Design Gráfico, Expografia e Documentação Museológica. Pesquisa estudos em Patrimônio Imaterial, Patrimônio Industrial e Patrimônio Alimentar.

Deixe o seu comentário. Queremos ouvir a sua opinião.

9 + catorze =

chat seta
fale com a Tríscele