Elaborando Um Plano Museológico

Elaborando Um Plano Museológico

O Plano Museológico é uma ferramenta de gestão para os museus. Trata-se de um documento pautado num conjunto de Programas e Projetos e tem sua estruturação orientada pelo Estatuto de Museus. O Brasil possui mais de 3.600 museus, mas somente 25% deles possuem o seu Plano Museológico. (IBRAM, 2010)

Outro problema é a falta de esclarecimento sobre a sua importância. Muitos museus têm Plano Museológicos elaborados, cumprindo apenas uma formalidade da legislação. Todavia, as instituições museológicas devem ter a consciência de que elaborá-lo é apenas uma das etapas e o mais importante é a sua implantação. É a partir da sua implantação que o museu começa a perceber uma série de reflexões que o levará às mudanças. O Plano Museológico é um espelho do museu e é, ao mesmo tempo, o reflexo do que o museu quer e pretende chegar a ser.

A Tríscele tem desenvolvido uma metodologia para a elaboração e implantação de Planos Museológicos, em consonância com a Lei 11.904.

Mas o que é o Plano Museológico?

Plano Museológico é o documento que fortalece e reafirma a importância do museu em todos os aspectos, tanto em sua imagem externa como nas metas e estratégias a serem conhecidas e compartilhadas. Alçado em um conjunto de Programas e Projetos, consonantes às diretrizes e leis museológicas vigentes, é dever de todo museu elaborar e implementá-lo.

Plano Museológico é uma ferramenta imprescindível para o desenvolvimento de todos os trabalhos desenvolvidos pelo museu, estabelecendo a sua visão, a sua direção e os seus caminhos.

O Plano Museológico Começa com um Diagnóstico Museológico

A elaboração baseia-se no diagnóstico completo da instituição. Levando em conta os pontos fortes e frágeis, ameaças e oportunidades, aspectos socioculturais, políticos, técnicos, administrativos e econômicos pertinentes ao museu.

O Plano Museológico revela ao museu o seu lugar na mundo e a sua contribuição para a sociedade, esclarecendo de modo objetivo a Ideia de onde a instituição se encontra e para onde caminha, apontando as possibilidades para se atingir tais objetivos.

O Plano Museológico Revela o Lugar que o Museu se Insere e o Papel que ele Exerce na Sociedade

Por seu caráter político, técnico e administrativo, trata-se de um instrumento fundamental para a sistematização do trabalho interno e para a atuação do museu na sociedade. A elaboração do Plano Museológico baseia-se em diagnóstico completo da instituição, levando em conta os pontos fortes e frágeis, as ameaças e oportunidades, os aspectos socioculturais, políticos, técnicos, administrativos e econômicos pertinentes à atuação do museu.

O Plano Museológico Aponta um Diagnóstico Institucional

Compreendido como ferramenta básica de planejamento estratégico, de sentido global e integrador, o Plano Museológico é indispensável para a identificação da vocação da instituição, para a sua definição, ordenamento e priorização dos objetivos e das ações de cada uma de suas áreas de funcionamento, bem como fundamenta a sua criação ou fusão, constituindo instrumento fundamental para a sistematização do trabalho interno e para a atuação dos museus na sociedade.

Um Plano Museológico é, por sua vez, memória e futuro da instituição. É um instrumento que contribui para o fortalecimento institucional e potencializa a gestão do museu, sempre contemplando em oferecer ao seu público um serviço de qualidade. E um documento concreto e breve, de caráter útil e prático, com vigência entre três e cinco anos, e com vocação global que cumprem todos os aspectos da instituição.

O Plano Museológico é uma Ferramenta de Gestão

O Plano Museológico é Estruturado em Programas e Projetos

O Plano Museológico tem a sua estruturação recomendada pelo Estatuto de Museus (Lei 11.904). Recomenda-se que ele seja elaborado de forma participativa. Isso inclui o conjunto dos funcionários dos museus, especialistas, parceiros sociais, usuários e consultores externos. O museu deve entender que essa ferramenta deve ser resultado de uma construção múltipla e, portanto, o mais democrática possível.

A delimitação dos Programas e Projetos Museológicos seguirá a realidade institucional, apontada nas duas etapas anteriores, de Diagnóstico Museológico e Diagnóstico Institucional. A partir deles é que se consegue entender todo o processo técnico-administrativo e financeira do museu, programando suas atividades em um cronograma pensado em curto, médio e longa prazo.

Programas e Projetos do Plano Museológico

  1. Programa e Projetos Institucionais
  2. Programa e Porjetos de Gestão de Pessoas
  3. Programa e Projetos de Acervos
  4. Programa e Projetos de Exposições
  5. Programa e Projetos Educativo e Culturais
  6. Programa e Projetos de Pesquisa
  7. Programa e Projetos Arquitetônico-urbanístico
  8. Programa e Projetos de Segurança
  9. Programa e Projetos de Financiamento e Fomento
  10. Programa e Projetos de Comunicação
  11. Programa e Projetos de Acessibilidade a Todas as Pessoas

 

 

Para saber mais, conheça o Plano Museológico que a Tríscele desenvolveu para o Museu Irmão Luiz Godofredo Gartner, em Corupá/SC.

Publicado por na(as) categoria(as) Plano Museológico.

Museólogo com mestrado em Turismo e Hotelaria. Desenvolve consultorias e pesquisas relacionadas a Serviços Turísticos, Planejamento do Turismo, Desenvolvimento Local e Turismo Cultural. Na área de Museologia, atua principalmente nos seguintes temas: Gestão Museológica, Design Gráfico, Expografia e Documentação Museológica. Pesquisa estudos em Patrimônio Imaterial, Patrimônio Industrial e Patrimônio Alimentar.

Comentários para "Elaborando Um Plano Museológico".

  1. Yara Christina Cesario Pereia · Professora: disse:

    Texto esclarecedor: planejamento é imprescindível. Museu = espaço de alfabetização científica. Parabéns!!!

    1. Saty Jardim: disse:

      Olá Yára Christina, obrigado por se interessar pelos nossos textos.
      A Tríscele tem atuado na perspectiva de que os museus devem sim, ser espaços de alfabetização científica. Para isso, nossos projetos são pensados com equipe multidisciplinar, formada por museólogos, historiadores e pedagogo. Para aprofundar mais ainda nossos conhecimentos, as propostas de mediação e de oficinas são pensadas com consultores, de acordo com a temática e a ênfase do museu. Já tivemos consultorias com físicos, matemáticos, gramáticos, químicos, entre outros.
      esse planejamento conjunto reflete nos resultados! Nesse sentido, a Tríscele acredita sim que planejar é imprescindível!

Deixe o seu comentário. Queremos ouvir a sua opinião.

dois + 14 =

Que tal Realizar o seu Diagnóstico de Acervo?

É Simples, Gratuito e 100% Online!

chat seta
fale com a Tríscele